Conselhos para clubes, federações, iniciantes ou não


Aproveitando o lançamento do Guia para iniciantes do Rugby, em março desse ano, comecei a escrever um artigo sobre a organização das equipes de Rugby no Brasil, mas por algum motivo que não me lembro, acabei esquecendo dele na minha pasta de rascunhos. No entanto, as recentes discussões em torno da (des)organização das federações e a recente confusão na semifinal do Paulista, mais os comentários em torno dos temas no blog do Rouget e do Martoni, me motivaram a resgatar o artigo.

Gostaria de compartilhar com todos os leitores, algumas observações que fiz durante a minha pesquisa sobre as equipes de Rugby existentes no Brasil. No meu entendimento, o guia ajuda muito para estruturar treinos e familiarizar todos os praticantes com os seus conceitos mais importantes, mas não abrange a organização de um clube, que é, no fim das contas, a organização resultante do conjunto de praticantes. Talvez conselho seja uma palavra um pouco arrogante, já que direciono o artigo para pessoas que também possuem muito mais vivência no esporte do que eu, mas utilizo aqui por falta de um termo melhor.

O rugby é um esporte amador no Brasil, mas isso não é motivo para se descuidar da história do seu clube, das informações a respeito dele, do modo de divulgação do clube. Afinal, essas são bases para se conseguir um patrocínio futuramente. A FEA Rugby, por exemplo, é um time recente, não conta com a mesma força ou história de outros times do Super 8, mas já conta com 2 patrocínios. No seu website, é possível verificar o calendário da equipe, os títulos, o histórico, a ficha dos jogadores, a história da equipe, etc. Apesar de não ser muito elaborado esteticamente possui todas as informações que um patrocinador ou torcedor precisa saber a respeito.

Outros bons exemplos recentes é o da FFLCH. Entre os clubes, o São José e Tornados são bons exemplos.

História

Qual a história do time? Qual a data de sua fundação? Quem foram os fundadores?

A história de uma equipe ajuda a criar laços com os jogadores e torcedores, que passam a se identificar com a equipe. Que jogador ou ex-jogador não gosta de ver fotos defendendo as cores do seu time, cada uma com uma história? As fotos e vídeos que faço para o blog, disponível no Picasa, são alguns dos links mais acessados  do blog. São a melhor registro de uma partida. A época em que vivemos ajuda muito nesse sentido; câmera digitais e filmadoras possuem preços mais acessíveis, e até celulares conseguem fazer essa função, com alguma qualidade.

Estatísticas

Você sabe dizer quantos passes a sua equipe acerta por jogo? Quantos penais comete? Quantos scrums e lineouts ganha por jogo?

É possivel verificar a evolução técnica de uma equipe através dos resultados que ela obtém? Não necessariamente. Um resultado melhor em uma competição pode significar na verdade que o seu adversário sofreu uma piora, e a sua equipe apenas manteve o seu nível. Assim, pode ser verificado se o índice de acerto de passes melhorou, se o time está mais disciplinado, cometendo menos penais; qual o percentual de vitórias no line out, no scrum, etc.

Em um clube existem várias pessoas dispostas a ajudar, o que torna essa tarefa relativamente fácil. Acredito que somente a FEA faça trabalho semelhante. No blog, faço as estatísticas do campeonato universitário, e ajuda ainda no entendimento da partida por aqueles que não presenciaram o jogo.

Internet

Já tem um time montado? Treinos organizados, jogadores, campo?

Hoje a internet é ponto de partida obrigatório para divulgar o trabalho da sua equipe, mostrar que é uma equipe séria. Das 83 equipes que cadastrei no Mapa do Rugby Brasileiro, e das mais de 120 que tenho cadastrado, pouquíssimas possuem um endereço eletrônico para chamar de seu, que seja possível dar informações sobre a equipe, e que funcionem como ponto de contato para possiveis novos jogadores. A imensa maioria existe apenas no Orkut, com pouquíssimas informações. O orkut deveria ser somente um meio secundário de contato com as equipes.

Treinos

Onde treina a sua equipe?

Muitas equipes pesquisadas possuem como endereço alguns dos seguintes endereços:

“Na praia, perto do quiosque x”

“No gramado atrás do mercado do Zé”

OK, as referências podem ser ótimas para quem mora na região, mas acho que um endereço fixo, com rua, número, bairro, etc, pode facilitar para pessoas que estejam temporariamente na região, ou sejam de cidades próximas, a encontrar um local para conhecer o esporte, ou mesmo treinar com o grupo. Além do mais, demonstra amadorismo.

Divulgação das informações

Quando ocorrem os jogos? O seu clube vai fazer alguma ação para promover o esporte?

De nada adianta um site, um time organizado, se ele não é atualizado constantemente.  É necessário que as informações sejam sempre atualizadas, seja no site, no orjut, ou no twitter, outro meio que começa a ser utilizado pelas equipes. Tornados e Guanabara já se valem dessa ferramenta, além de muitos outros jogadores de equipes, e este blog, que informa todas as notícias do blog e algumas informações adicionais, para pessoas além do mundo do Rugby. Por meio dele por exemplo, estou em contato com pessoas de outros países, que agora mantenho contato e passo informações sobre o Rugby nacional. É uma grande ferramenta para troca de experiências.

Além disso, por que não criar um mailing, com os principais meios de divulgação do Rugby nacional? O email de contato dos blogs geralmente é bem fácil de encontrar (o do blog do Rugby é blogdorugby@gmail.com, por exemplo). É ainda mais fácil do que os demais meios citados acima, pois se trata de uma ferramenta com a qual estamos todos familiarizados. O pessoal do Curitiba Rugby, São José e FEA são algumas equipes que utilizam esse meio para divulgar o que a sua equipe está fazendo.

Obviamente, deve-se manter o mailing atualizado. Isso garante que todos os meios recebam informações atualizadas sobre sua equipe.

 

Espero que esses tópicos ajudem de algum modo a melhor estruturar as equipes, que surgem aos montes nos últimos meses, mostrando que o potencial para o Rugby no país nunca esteve tão à mostra, e por isso mesmo, acredito que sejam importantes para dar um tom de profissionalismo ao esporte amador. Como mostrado no último post do Martoni, nada disso substitui a doação, o sacrifício, dos jogadores, mas pode ajudar aos mesmos manterem o foco no que interessa, o jogo, e tirarem proveito máximo das ferramentas disponíveis hoje em busca de mais jogadores e patrocínios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: