Três Nações 2009


trinations

Neste sábado, dia 18 de julho, terá início a edição de 2009 do Três Nações (Tri Nations Series, inglês), o mais importante torneio entre seleções do Hemisfério Sul.

Desde 1996, África do Sul (Springboks), Austrália (Wallabies) e Nova Zelândia (All Blacks) se enfrentam anualmente, com vantagem para o neozelandeses, qua se sagraram campeões por 9 vezes, incluindo os últimos 4 torneios em sequência (1996, 1997, 1999, 2002, 2003, 2005, 2006, 2007 e 2008). Austrália (2000 e 2001) e África do Sul (1998 e 2004) venceram cada um duas vezes.

Apesar da histórica superioridade, os All Blacks não parecem os favoritos para 2009. Para conseguirem o quinto título seguido, os comandados de Graham Henry terão muito o que melhorar. As atuações nos últimos tests em casa deixaram um sinal de alerta para a equipe. Derrota e vitória suada contra a França e vitória (mais do que obrigação) não convincente contra a Itália. Muitos no próprio país apontam os três amistosos como os piores dos All Blacks em casa na era profissional. Apesar disso tudo, a federação local deu voto de confiança a Henry, garatindo-o até a Copa do Mundo.

Para o Três Nações, a Nova Zelândia contará novamente com os veteranos Richie McCaw e Rodney So’oialo, que devem deixar a equipe mais estável. A perda, contudo, será na abertura. Daniel Carter não poderá defender os All Blacks, e em seu lugar jogará Luke McAlister, possivelmente não em sua melhor forma. A posição de half-scrum também está envolta de dúvidas. Rokocoko e Sivivatu também inspiram dúvidas sobre as respectivas formas físicas. Ao menos Mils Muliaina está definitivamente em sua melhor forma. Mas com esse quadro, os All Blacks vão ter que se superar para derrotar Austrália e África do Sul, que estão literalmente voando.

Os Wallabies são talvez hoje a seleção que está jogando o melhor rugby no mundo no momento. Comandados pelo brilhante Robbie Deans, técnico que levou os Crusaders a cinco títulos do Super 12/14, os australianos convenceram nos tests. Não que vencer duas vezes a Itália seja grande feito, e a vitória sobre a França foi facilitada pelos turbulências causadas por Bastareud no elenco Les Bleus. Mas a forma com que a Austrália jogou e passou por seus adversários foi de animar os aussies para o Três Nações.

Os veteranos estão na melhor das formas. O abertura Matt Giteau e o centro Stirling Mortlock são como vinho. George Smith, que completará 100 jogos internacionais pelos Wallabies, faz ótima dupla na terceira linha com Rocky Elsom (certamente um dos melhores jogadores de 2009 no rugby mundial).

Mas a grande estrela do momento é o novato full back James O’Connor. Em sua estréia contra a Itália, anotou três tries e manteve a boa atuação nos tests seguintes. Muito vem se falando sobre ele, mas a verdadeira prova para ele, e para todo o time australiano, vem agora com o Tri Nations, que não vencem desde 2001. Se as turbulências que envolveram o não convocado Lote Tuqiri não afetarem o time (e não devem), a Austrália pode ser vista, se não como favorita, como séria candidata ao título.

Por fim, os Springboks. Os jogos contra os Lions mostraram quão forte é o time sul-africano. O polêmico técnico Peter de Villiers apontou o Tour dos Lions como a preparação perfeita para o Três Nações. E de fato foi – ao menos nisso de Villiers está correto. A África do Sul foi implacável com os Lions em todas as posições do campo. Os forwards demonstraram muita força e consistência. A qualidade de jogadores como Mtawarira, Matfield, Smith e Spies foi inquestionável e os Boks dominaram no scrum.

Contudo, a força da equipe muitas vezes levou à indisciplina e violência. Bekkies Botha e Schalk Burger (que estará de fora agora) foram prova disso. Talvez atitudes como as deles venham a prejudicar a caminhada sul-africana ao título de 2009. Na linha, Bryan Habana e JP Pietersen estão em grande forma e deverão ser grandes armas a favor dos Boks. Dos jogadores mais novos, Morné Steyn merece atenção, especialmente após suas grandes atuações no Super 14 pelos Bulls.

A África do Sul vem forte e bem preparada, capaz de enfrentar mais do que à altura All Blacks e Wallabies.

Calendário:
18/7: Nova Zelândia x Austrália, em Auckland
25/7: África do Sul x Nova Zelândia, em Bloemfontein
1/8: África do Sul x Nova Zelândia, em Durban
8/8: África do Sul x Austrália, na Cidade do Cabo
22/8: Austrália x Nova Zelândia, em Sydney
29/8: Austrália x África do Sul, em Perth
5/9: Austrália x África do Sul, em Brisbane
12/9: Nova Zelândia x África do Sul, em Hamilton
19/9: Nova Zelândia x Austrália, em Wellington

 

Atenção!! O O’Malleys transmite o primeiro jogo, entre All Blacks e Wallabies na madrugada de sexta para sábado, a partir das 4h30. Obrigatória presença dos amantes do esporte! Assim é garantia de que irão passar os demais também. QUem não estiver em São Paulo, O Justin TV é o caminho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: