Atlas do Rugby: FFLCH e Bristol


As primeiras equipes a fazerem parte do Atlas do Rugby, coluna que estreia hoje, são FFLCH Rugby e o Bristol, da Inglaterra. Confira!

logofflch

Nome: Rugby FFLCH-USP

Cidade/UF: São Paulo/SP

Local dos treinos: CEPEUSP, Cidade Universitária, São Paulo

Origem: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo

Títulos: BIFFE 2008

Site: www.rugbyfflch.com.br

Fundado em 2001, o rugby FFLCH representa a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (que engloba os cursos de História, Geografia, Filosofia, Ciências Sociais e Letras da USP).

Em 2008, a equipe passou também a englobar os rugbiers de outras faculdades da USP: IF (Instituto de Física) , IAG (Instituto de Astronomia e Geofísica), IO (Instituto de Oceanografia) e alguns atletas da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) e da ECA (Escola de Comunicações e Artes). A FFLCH conta também com uma equipe feminina recém formada, na qual jogam inclusive algumas jogadoras da equipe do Rugby USP Feminino.

O fundador da equipe foi Fabrício Kobashi, o “Bi”, aluno da geografia e jogador do Pasteur, com passagens pela seleção brasileira juvenil e pelo Newport Breakers, da Austrália. O rugby na faculdade cresceu e logo a equipe começou a disputar seus primeiros amistosos, com a ajuda do técnico Tadeu Kulaif. Em 2002, o Rugby FFLCH ganhou fama pelo tamanho de seu scrum e disputou seus primeiros campeonatos: a Copa USP e o Paulista Universitário, sendo treinado primeiro pelo argentino Marcel Brun e depois pelo português Luis Fróes, o “Mamute”. Em 2003, a equipe passou a ser treinado pelo grande Antônio Martoni, à época técnico da seleção brasileira – a FFLCH chegou inclusive a fazer um treino com a seleção. A equipe saiu da Copa USP de 7s com vitórias e disputou duras partidas pelo CPUR (o Paulista Univeristário). No entanto, em 2004, infelizmente, a equipe acabou por falta de atletas.

A equipe foi retomada em 2005, sob o liderança de Rodrigo Bombonatti, o “Pakato”, que, com seu irmão Luiz Bombonatti, lideraram a equipe até 2006, ano que a FFLCH ficou novamente sem rugby.

O último renascimento da equipe se deu em 2007, quando começou a geração atual da equipe. As contribuições de Vinícius Caetano, o “Dunga” (jogador da FFLCH desde a primeira geração), e do italiano Paolo Targioni, ex-Rugby Prato (equipe hoje do Super 10 italiano) foram imprescindíveis nessa retomada. Em 2008, já sob o comando do inglês Timothy Baines, o Tim, grande nome do rugby brasileiro e do SPAC, a FFLCH voltou à cena do rugby paulista universitário disputando o 7s Universitário, organizado pela FEA, e vencendo o BIFFE de 7s – competição entre faculdades da USP mais importante para a FFLCH. Em 2009, a equipe voltou a disputar o Campeonato Paulista Universitário, saindo do torneio com uma vitória (contra os Mamutes de Lorena).

bristollogo

Nome: Bristol Rugby Football Club

Cidade/País: Bristol, Inglaterra

Estádio: Memorial Stadium (capacidade: 12,500)

Títulos: John Player Cup (Copa da Inglaterra): 1983

Site: www.bristolrugby.co.uk

Tradicionalmente, é no chamado West Country inglês (o sudoeste do país), região predominantemente rural, que o rugby union encontra seu fiel bastião. Na foz do rio Severn localiza-se a cidade de Bristol, maior cidade, principal porto e importante centro comercial, industrial e cultural da região. Não por acaso, próxima à fronteira com o sul do País de Gales, o rugby desfruta de significativa popularidade na cidade, a pesar de ainda não ter alcançado o mesmo prestígio de seus vizinhos e rivais do Bath e do Gloucester. A equipe do Bristol Rugby, fundada em 1888 após fusão de clubes locais, viveu anos na chamada “era Blake”, durante as décadas de 50 e 60, quando foram capitaneados pelo grande abertura John Blake, e na década de 70 (a temporada 71-72 foi a melhor da história do clube). Foram ainda campeões anglo-galeses em 1983, tendo Alan Morley atingido a marca de 479 tries em sua carreira (marca record).

O advento do profissionalismo trouxe ao Bristol temporadas oscilantes, com rebaixamentos e campeonatos decepcionantes alternados com ótimas campanhas (como a da temporada 2006/07.  Mudanças de nome (decorrentes de mudanças de patrocínio) também tiveram lugar, com a equipe mudando, em 2001, o nome para Bristol Shoguns, pelo patrocínio de uma marca japonesa.  Nomes importantes passaram pelo clube. Para citar mais alguns, além dos já relembrados aqui: Augustín Pichot, Manuel e Felipe Contepomi (argentinos), Brian Lima (samoano), Martin Corry, Josh Lewsey e Andrew Sheridan (ingleses), James Peters (também inglês, e primeiro negro a defender a Inglaterra, em 1906), Robert Jones e Gareth Llewelly (galeses), Al Charron (canadense), Jason Little (australiano) e Henry Honiball (sul-africano).

Anúncios

6 Respostas

  1. Muito legal voces estão de parabens.
    Tim-Coach.

  2. Vai FFLCH!!!!
    Go BRISTOL!!!

  3. ae victor.. legal !!!! esqueceu de citar seu proprio nome como um dos responsaveis pela reconstruçao do time em 2007!!!

    abraços e sucesso no blog.. q é muito bom!!!

    l

  4. boa vitor!
    acho que jajá vai ter muito time sendo biografado por aqui… atlas do rugby é uma otima idéia, boa sorte na empreitada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: