França: agora é a vez da Pro D2


No próximo sábado, dia 29 de agosto, será dado o kickoff da temporada 2009-10 da Pro D2, a segunda divisão profissional do rugby francês. Quem será que subirá para o sensacional e mais do que reforçado Top 14?


Dezesseis equipes começarão a se degladiar pelas 2 vagas na temporada 2010-11 do Top 14, e para fugir das 2 últimas colocações, que levam à terceira divisão amadora, a Fédérale 1. O primeiro colocado da fase de pontos corridos se garante como campeão e primeira equipes promovida. O segundo, terceiro, quarto e quinto colocados disputam uma eliminatória valendo a segunda vaga no Top 14.

Dentre as 16 equipes há grandes clubes do rugby francês, muitos ex-campeões. O quarto maior campeão da França está na Pro D2: o SU Agen, 8 vezes campeão nacional. O clube do departamento de Lot-et-Garonne, no sul da França, entre Bordeaux e Toulouse, quase conseguiu subir na temporada passado. Terminou em segundo lugar na temporada regular, mas foi derrotado pela zebra Oyonnax no mata-mata.

O grande nome do elenco é Rupeni Caucanibuca, fijiano que já defendeu sua seleção em Copa do Mundo. Entram como os favoritos de 2009-10.

Por sua vez, o Oyonnax bateu na trave (na trave do H!) em sua trentativa de ser promovido. Foi derrotado pelo Albi na final do mata-mata de promoção, em uma partida emocionante. O clube é de uma pequena cidade próxima a Lyon, e vive o melhor momento de sua história. Conta em seu elenco com dois uruguaios: Nicolas Brignoni e Juan Carlos Bado, ambos dos Teros.

A outra equipe que esteve no mata-mata final foi o La Rochelle. A cidade é apaixonada pelo rugby, sempre leva excelentes públicos ao estádio, mas a equipe há anos que não corresponde e é incapaz de subir. Será que finalmente chegou a hora? O porto de La Rochelle agradeceria.

As duas equipes que foram rebaixadas do Top 14 devem começar a Pro D2 como canddatas a voltas. Dax e Mont-de-Marsan farão de tudo para voltar à elite. O Dax conta com um scrum de peso, com o excelente romeno Balan.

Nos 3/4, os destaques são o argentino Aramburu e o italiano Bortolussi, ambos de suas seleções. Pelo lado de Mont-de-Marsan, Luke Tait, segunda linha da seleção canadense, e o full-back Florent Cazeaux são os destaques, de uma equipe homogênea que não sentiu o rebaixamento como um fracasso, e sim como uma valiosa experiência – diferente do Dax, que buscava repetir o feito do ano anterior de se salvar.

O Auch é uma daquelas equipes que esteve há muito pouco tempo na primeira divisão, quando, inclusive, chegou a fazer bonito na Challenge Cup européia. Porém, o clube onde joga o português David Penalva fez má campanha na última temporada, suscitando dúvidas se eles estarão aptos a retornar.

O mesmo ocorre com o Narbonne. A tradicional equipe laranja do Languedoc foi muito mal em 2008-09, mas tem história. Maior campeão do Challenge Yves-de-Manoir, o clube quer se colocar como aspirantes sério à promoção, e o elenco foi reformulado justamente com vistas para o retorno à elite, de onde foram rebaixados em 2007.

Outro clube muito tradicional, o Pau, tricampeão francês e campeão da Challenge Cup européia, em 2000, corre por fora para finalmente alcançar, ao menos, o mata-mata de promoção. A equipe verde do Pirineus entra ambiciosa para o Pro D2.

Correndo por fora também estão três clubes de importantes cidades da França: o Lyon Olympique Universitaire (LOU, ou Lyon OU), o Union Bordeaux e o FC Grenoble. O Lyon ficou de fora da fase final de 2008-09 por 1 ponto. Cortes salariais para a nova temporada podem tirar o clube da briga pela promoção. Mas o LOU representa uma das maiores cidades do país e pode capitalizar. No entanto, o clube entrou para o noticiário pela possível fusão com o Bourgoin, equipe do Top 14 que passa por sérias dificuldades financeiras.

Já o Union Bordeaux, equipe nascida em 2006 pela fusão de Stade-Bordelais (heptacampeão francês) e do Bordeuax-Bégles, bicampeão nacional. Apesar de Bordeaux ser uma grande cidade apaixonada por rugby, e de o Union Bordeaux ter sido formado a partir de duas equipes tradicionais, o clube ainda não engrenou e desde sua criação esteve brigando contra o rebaixamento. Vamos ver se finalmente as coisas mudarão. Já o Grenoble, clube dos alpes franceses, busca voltar à elite pela primeira vez desde 2005.

O Colomiers é um clube que merece menção. Apesar de ter passado recentemente pela terceira divisão e de ter lutado contra o rebaixamento na última temporada, trata-se de um clube de grande tradição, localizado no subúrbio de Toulouse. Nunca foi campeão francês, mas já foi vice-campeão da Heineken Cup em 1999, quando contava com o grande Fabien Galthié.

Mas devemos esperar do Colomiers mais um ano de luta contra o descenso.

Estarão na disputa da Pro D2 mais quatro clubes: o Aurillac, grande rival local do Brive, que conta com uma legião de sul-africanos; o Tarbes e seus vizinhos caçulas do Lannemezan e o Aix-en-Provence, que retorna ao rugby profissional, representando o rugby da grande Provença.

Uma nota interessante sobre as 16 equipes da Pro D2 é que 8 delas já foram campeões franceses: Agen, Bordeaux, Grenoble, Pau, Narbonne, Lyon, Mont-de-Marsan e Tarbes.

Primeira rodada:
Grenoble x Lannemezan, em Grenoble
Lyon x Bordeaux, em Lyon
Narbonne x Pau, em Narbonne
Auch x Colomiers, em Auch
Aurillac x Oyonnax, em Aurillac
Mont-de-Marsan x La Rochelle, em Mont-de-Marsan
Tarbes x Aix-en-Provence, em Tarbes
Dax x Agen, em Dax

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: