Atlas do Rugby – Medicina USP e Highlanders


Nesta edição do Atlas do Rugby traremos o time da Medicina USP, a primeira equipe universitária do país, e a única que foi campeã brasileira (já comentaram nesse blog que a FEI obteve o mesmo título, mas não encontrei fonte que confirmasse isso) e as 4 equipes da Nova Zelândia: os Highlanders, do Super 14, Otago e Southland, da Air New Zealand Cup e o North Otago, do Heartland Championship.

logomedusp

Nome: Medicina USP

Cidade/Estado: São Paulo/SP

Estádio: Caveirão (R. Artur de Azevedo, 1)

Títulos: Campeonato Brasileiro (1973, 1981); Mac Med (1966, 1967 1970 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1977, 1980, 1981, 1985, 1990, 1991, 1995) ; campeão paulista (1979)

Site: http://www.geocities.com/Colosseum/Arena/9364/principal.htm

 

A história do rugby na faculdade teve seu nascimento em 1934 quando o Dr Esher, cirurgião plástico, doou ao Centro Acadêmico uma bola de rugby
Ainda no ano de 1934, pela iniciativa dos Srs. Feliciano Penido Burnier e Mauro Cândido de Sousa Dias, ambos alunos da 20ª turma, orientados pelo prof. Max Barros Heraldt, montou-se um time de rugby que faria sua estréia em 13 de outubro de 1934.

Depois desse primeiro ensaio, o rugby não mais existiu na instituição durante mais de 3 décadas. Em 1966, após 31 anos, um grupo de alunos reintroduziu o esporte na FMUSP e, por esse motivo, consideramos essa data como uma nova fundação do rugby na Medicina.

Nessa nova fundação, vale destacar a participação de dois alunos da época que foram de fundamental importância para o renascimento do rugby na Medicina: José Luiz da Costa Porto (52ª Turma) e Leon William Rheims (54ª Turma).

Ainda no ano de 1966, o rugby passou a integrar a MAC-MED, na 32ª edição da competição. Esse jogo de rugby da MAC-MED entre a Escola de Engenharia Mackenzie e a Faculdade de Medicina da USP foi o primeiro jogo de rugby entre duas instituições de ensino superior do Brasil. Foi vencido pelo time da Medicina pelo placar de 06 a 03. Ao longo da história da competição, a Medicina venceu muitas outras vezes.

Em 1983, a Medicina fez seu primeiro tour internacional de rugby ao Chile (Arauco, Viña del Mar e Santiago), jogando contra os campeões de Arauco, a Seleção do Sul do Chile, a Seleção de Juniores do Chile (U23), a Universidad Católica (então campeã da 1a divisão) e a Universidad do Chile.

Em 1984, disputou, no campo do SPAC, uma histórica partida amistosa internacional contra o Penguin RFC, combinado do Reino Unido composto por jogadores titulares das seleções da Inglaterra, Escócia, Irlanda e País de Gales, perdendo por 56 a 00, nesse mesmo ano foi campeã da Taça São Paulo de Rugby e da MAC-MED.

Entre 1992 e 1994, passou por período de crise e quase acabou após a saída simultânea de muitos jogadores. Contudo, ao final do ano de 1994, atendendo a convite do então acadêmico Fábio Gazel Quintavalle, juntou-se ao grupo como técnico o Sr. Luiz Francisco Ferreira, ex-jogador da seleção brasileira de rugby e professor de educação física graduado na Universidade de São Paulo.

Esse fato é de fundamental importância porque foi um ano em que discutiu-se o final do time, mas graças à dedicação do Sr. Ferreira, formou-se praticamente do nada um novo time que em menos de 1 ano de treinamento, voltou a vencer a MAC-MED em 1995. O rugby foi o último jogo da competição que estava empatada em 10 a 10 e, com a vitória, a Medicina foi campeã na competição geral.

Em 1998, juntou-se ao grupo como preparador físico o Sr. Ibsen Wilde Palla Déa Jr, também professor de educação física pela Universidade de São Paulo.

Em 2000, o time foi vice-campeão da INTERUSP. Infelizmente, no ano de 2001, o Sr. Luiz Francisco Ferreira deixou o grupo após 7 anos de ensinamentos no comando da equipe, em busca de novos projetos pessoais.

Nos últimos anos, o time da medicina se manteve na primeira divisão, com altos e baixos, conseguindo formar um elenco sólido para as disputas desse ano.

Highlanders

Nome: Highlanders

Cidade/País: Dunedin, Nova Zelândia

Estádio: Carisbrook Ground (capacidade: 29,000)

Títulos de Super Rugby: Nenhum

Equipes da Air New Zealand Cup: Otago (Dunedin) e Southland (Invercargill)

Equipes do Heartland Championship: North Otago (Oamaru)

Títulos de Air New Zealand Cup/NPC: 2 de Otago

Vitórias em Ranfurly Shield: 35 de Otago e 20 de Southland

Sites:

Highlander – www.highlandersrugby.co.nz;

Otago – www.orfu.co.nz;

Southland – http://www.rugbysouthland.co.nz ;

North Otago: http://www.northotago.co.nz

Com o advento do rugby profissional do Super 12, em 1996, o rugby neozelandês foi dividido em 5 franquias, agrupando as equipes provinciais do National Provincial Championship, a atual Air New Zealand Cup.

Cada uma dessas franquias tinha como primeiro nome a equipe provincial tradicionalmente mais forte. Dessa maneira, surgiu o Otago Highlanders, hoje chamados apenas de Highlanders. A equipe representa a região mais ao sul da Nova Zelândia, as províncias de Otago e de Southland, na Ilha do Sul – reunindo as equipes do Otago RFU e do Rugby Southland, da Air New Zealand Cup, e do North Otago, do Heartland Championship (segunda divisão neozelandesa).

O nome é derivado de duas características importantes da região: a geografia da região, fria, com colinas nas partes a sul e leste e com altas montanhas geladas no centro-oeste, paisagem semelhante à encontrada na Escócia; e da imigração escocesa. Otago e Southland, diferentemente do restante da Nova Zelândia – de imigração inglesa e forte presença maori – foi colonizada por escoceses presbiterianos, que desde o início diferenciam-se dos demais neozelandeses. A principal cidade de Otago, Dunedin, é conhecida como a “Edimburgo do Sul” (em alusão à capital escocesa), e o próprio nome da cidade significa Edimburgo, em gaélico escocês (língua celta). O símbolo e as cores da equipe ostentam tal herança e orgulho escocês.

Os melhores momentos da equipe foram entre os anos de 1998 e 2000, quando a equipe chegou por três vezes à segunda fase. Após a lanterna no ano de 1997, os Highlanders contratarm o técnico Tony Gilbert e montaram uma equipe consistente, chegando logo às semifinais em 1998. Foram a primeira equipe a derrotar as quatro equipes sul-africanas do Super 12 em um mesmo ano. No entanto, não foram capazes de passar pelo Auckland Blues e terminaram com o quarto posto.

O ano seguinte foi ainda melhor, liderados pelo ex-abertura All Black Tony Brown, os Highlanders chegaram à única final de Super 12 de sua história, perdendo para o Canterbury Crusaders, no clássico da Ilha do Sul. Mesmo jogando em Dunedin, o título de 1999 escapou das mãos dos “escoceses”. A temporada de 2000 foi boa novamente para os Highlanders, que pareciam se afirmar entre as forças da Nova Zelândia no Super Rugby. Chegaram às semifinais e garantiram o terceiro posto, mas desde então a equipe entrou em uma decadência da qual não se recuperou.

A temporada de 2009 foi uma amostra disso, terminando em 11º lugar, tendo no elenco apenas um jogador convocado para o Tri Nations (o capitão Jimmy Cowan, half de Southland).

 

Otago

Otago

Tendo como casa o temível estádio de Carisbrook, “The House of the Pain”, em Dunedin, o Otago Rugby Football Union é uma das mais antigas uniões de rugby do país, tendo sido fundada 1881. Ostentando o azul e o cardo escoceses, a rosa inglesa, a silver fern e os carneiros nacionais, Otago já deu à Nova Zelândia dezenas de All Blacks.

Dentre os maiores nomes recentes, Nick Evans, Byron Kelleher e Carl Hayman Tony Brown, Taine Randell, Josh Kronfeld, Carl Hayman, e o grande Jeff Wilson, um dos poucos atletas a ser um “Double All Black”, isto é, jogar pelas seleções nacionais de rugby e de críquete.

Dentre as lendas do passado, estão o capitão do time All Black campeão da Copa do Mundo de 1987, David Kirk, Laurie Mains, fullback All Black da década de 1970.

Os anos mais gloriosos da equipe foram nas décadas de 1930 e 1940, quando detiveram por 32 vezes a Ranfurly Shield, em três sequências de vitórias, feito que nunca mais alcançaram. Apesar das conquistas da NPC (atual Air New Zealand Cup) em 1991 e em 1998 (equipe base dos Highlanders vice-campeões do Super 12 de 1999), a era de glórias de Otago, quando faziam frente às potências de Auckland, Canterbury e Wellington, rendendo-lhes o posto de uma das cinco grandes equipes do país, há muito deixa saudades nos azuis da Ilha do Sul.

Southland

Southland
Fundado em 1891, como dissidência de Otago, a Southland Rugby Football Union representa a mais austral das regiões da Nova Zelândia, Southland – sendo a equipe profissional de rugby mais a sul do mundo. Com capital em Invercargill, trate-se da região menos populosa do país (tendo pouco mais de 90 mil habitantes). Mesmo assim, a região de origens escocesas e inconfundíveis camisetas vinho sempre produziu excelentes jogadores e possuiu equipes consistentes. À semelhanças de seus grandes rivais de Otago, os Stags (em português, veados, como é conhecida a equipe de Southland, sem qualquer duplo sentido) viveram seu grande momento nas já distantes décadas de 1940 e 1950, quando venceram a Ranfurly Shield por 20 vezes. Os clássicos entre Otago e Southland estavam entre os melhores e mais acirradas disputas no país naquelas décadas. O grande nome atual da equipe é Jummy Cowan, half-scrum dos All Blacks.

North_Otago_logo

North Otago
Fundado em 1904, North Otago está centrado na segunda maior cidade da região de Otago, Oamaru. Equipe da terra de Richie McCaw, o North Otago é uma das mais fortes equipes do Heartland Championship, campeonato amador correspondente à segunda divisão da Nova Zelândia, tendo levantado a taça em 2007. Entretanto, North Otago jamais chegou ao nível de seus parceiros de Highlanders.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: