Resultados do final de semana – 1ª parte


Com as expectativas aumentando sobre a inclusão do rugby nas Olimpíadas do Rio, o rugby mundial assistiu a clássico na Irlanda, surpresas na Irlanda e reta final de campeonato na África do Sul e na Nova Zelândia. Na 1ª edição do “Resultados do final de semana” faremos um resumão do que se passou na África do Sul, Nova Zelândia e França.

curriecup logo

A penúltima rodada da Premier Division da Currie Cup sul-africana teve duas partidas sem grandes emoções.

Para os padrões sul-africanos, isso signifca placares muito elásticos dos grandes do país sobre os pequenos. Free State Cheetahs passou fácil pelos Leopards e o Western Province teve derby tranquilo contra Boland, e é o novo líder. Os Bulls, por sua vez, passaram com folga sobre os Griquas. A partida, apesar do placar largo à favor dos Bulls, foi excelente.

Mesmo esperando mais da parte dos Griquas, que dominaram a primeira metade do certame, não se pode dizer que eles tenham fracassado na partida. Fizeram quatro tries e consuguiram o ponto-bônus, que os deixa como favoritos na briga pela última vaga nas semifinais.

Com o retorno dos selecionáveis Springboks à equipe azul de Pretória, os Griquas não podiam esperar a vitória, mesmo estando à frente dos rivais na tabela de classificação. Os touros azuis foram simplesmente perfeitos na partida. Anotaram 8 tries (Habana e Morné Steyn fizeram dois tries cada um), fizeram 61 x 27, conseguiram a classificação com uma rodada de antecipação e mostraram que entram para as finais certamente com boas chances de título.

Na partida de domingo, os Sharks suaram para conseguir bater os desesperados Lions. A derrota com placar baixo, 19 x 17, tirou os Sharks da liderança isolada… e eliminou os Lions do torneio. A briga pela última vaga ficou entre Griquas e Cheetahs. Na última rodada os Griquas jogam em casa contra os Sharks e os Cheetahs jogam fora contra Boland.

Resultados:

Free State Cheetahs 60 x 17 Platinum Leopards, em Bloemfontein

Blue Bulls 61 x 27 Wildeklawer Grqiuas, em Pretória

Western Province 50 x 7 Boland Cavaliers, na Cidade do Cabo

Natal Sharks 19 x 17 Golden Lions, em Durban

Classificação, após 13 rodadas:

1 – Western Province – 49 pontos

2 – Natal Sharks – 49 p.

3 – Blue Bulls – 41 p.

4 – Wildeklawer Griquas – 40 p.

5 – Free State Cheetahs – 36 p.

6 – Golden Lions – 33 p.

7 – Platinum Leopards – 6 p.

8 – Boland Cavaliers – 5 p.

A primeira fase da First Division chegou a seu final! E a última rodada reservou uma grande surpresa. O Mpumalanga Pumas foi finalmente derrotado, 35 x 24 para o Northern Free State Griffons. A grande decepção ficou mesmo por conta do Valke Falcons que, logo na temporada seguinte a seu rebaixamento da Premier Division, terminou na última colocação da First Division, sem vencer ninguém. Isso sim que é queda.

Resultados:

SWD Eagles 18 x 16 EP Mighty Elephants, em George

Border Bulldogs 39 x 15 Valke Falcons, em East London

NFS Griffons 35 x 24 Mpumalanga Pumas, em Welkom

Classificação final, após 10 rodadas:

1 – Mpumalanga Pumas – 44 pontos

2 – SWD Eagles – 31 p.

3 – NFS Griffons – 31 p.

4 – EP Mighty Elephants – 26 p.

5 – Border Bulldogs – 17 p.

6 – Valke Falcons – 3 p.

Confrontos das semifinais:

Dia 10/10: Mpumalanga Pumas x EP Mighty Elephants

SWD Eagles x NFS Griffons

airnewzealandcuplogo

Vamos à terra dos All Blacks. O equilíbrio na Air New Zealand Cup 2009 é de tirar o fôlego dos torcedores de toda a Nova Zelândia. Restando apenas 3 rodadas a serem disputadas na primeira fase, apenas 1 equipe, o Counties Manukau, está matematicamente eliminado. 13 equipes ainda lutam pelas 4 vagas das semifinais. Quem pensava que um campeonato com 14 equipes lutando por apenas 4 vagas fosse ficar desinteressante para muitas equipes na reta final se enganou redondamente.

O sistema de tetos salariais implementado surtiu um efeito magnífico no campeonato. Diferentemente do que ocorre na África do Sul, onde os 5 grandes dominam por completo a Currie Cup e dão pouquíssimo espaço para os menores, na Nova Zelândia os times menores disputam cabeça a cabeça as vagas com os chamados grandes. Apenas quem não viu essa virtude da Air New Zealand Cup foi a NZRU que, inexplicavelmente, resolveu mudar o atual sistema – a meu ver bem sucedido – por um novo modelo de apenas 8 equipes para a temporada que vem. Lamentável.

Mas vamos ao que se passou na décima rodada da Air New Zealand Cup. Wellington derrotou Manawatu e assumiu a terceira colocação, beneficiado pela derrota de Southland para Auckland. A equipe do sul não foi capaz de passar pelos azuis, que se recuperaram da última derrota para Tasman. Por falar nos Makos (Tasman), a vitória fora de casa sobre Northland lhes rendeu a quarta posição A equipe da Ilha do Sul teve que provar antes do início do torneio que era capaz de arcar com as obrigações financeiras exigidas. Agora, brigar diretamente pelo título é certamente um resultado acima do esperado. A superação de Tasman é um dos grandes exemplos do por que o modelo de disputa atual da Air New Zealand Cup é um sucesso que deveria ter continuidade.

Outra equipe que saiu da 10ª rodada com grande resultado foi Hawke’s Bay que, em partida contra um concorrente direto, derrotou Bay of Plenty, 22 x 19, em grande embate na cidade de Rotorua, a terra dos geysers. Com isso, os Magpies de Hawke’s Bay assumiram a vice liderança.

Nas demais partidas, o líder Canterbury fez má partida mas passou pelo lanterna Counties Manukau, Otago segue inconstante, sendo derrotado facilmente por Taranaki, e Waikato passou por North Harbour.

Resultados:

Waikato 33 x 22 North Harbour, em Hamilton

Bay of Plenty 19 x 22 Hawke’s Bay, em Rotorua

Counties Manukau 17 x 28 Canterbury, em Pukekohe

Auckland 27 x 13 Southland, em Auckland

Wellington 43 x 15 Manawatu, em Wellington

Taranaki 38 x 10 Otago, em New Plymouth

Northland 16 x 21 Tasman, em Whangarei

Classificação, após 10 rodadas:

1 – Canterbury – 37 pontos

2 – Hawke’s Bay – 30 p.

3 – Wellington – 29 p.

4 – Tasman – 28 p.

5 – Southland – 28 p.

6 – Bay of Plenty – 26 p.

7 – Auckland – 26 p.

8 – Waikato – 26 p.

9 – Taranaki – 24 p.

10 – Otago – 18 p.

11 – Manawatu – 17 p.

12 – Northland – 16 p.

13 – North Harbour – 16 p.

14 – Counties Manukau – 11 p.

Top14

Vamos ao Velho Mundo. O rugby francês assiste à ascensão inesperada do Castres. O Top 14 começou com várias equipes badaladas. Toulouse, Stade Français, Clermont, Perpignan, Toulon, Brive, Biarritz e Racing Métro.

No entanto, quem está em segundo lugar não é nenhum dos badalados. O Castres Olympique, que já sofreu inclusive com a gripe H1N1 neste ano, bateu a equipe-sensação do Toulon (com Wilkinson em campo) e assumiu a vice-liderança. O trunfo da equipe não é nenhum craque em especial. A imprensa francesa atribui o sucesso inesperado da equipe do Tarn ao casamento perfeito entre os técnicos Travers e Labit e o elenco. Jogo de equipe vem sendo o segredo da equipe, sem dúvida alguma. E contra tamanha coesão nem 3 penais e 1 drop kick de Wilkinson são suficientes. Castres deixou para trás o Perpignan, derrotado pelo ascendente Biarritz.

Após o mal começo, os bascos estão atropelando. Com tries de Bosch (que também anotou um drop) e Ngwenya, o BO não deu chances aos catalães que não anotaram nenhum try e estiveram irreconhecíveis em campo. Quinta vitória seguida da equipe capitaneada pelo grande Harinordoquy.

A liderança é dos amarelos de Clermont. Com 4 tries (2 do artilheiro Nalaga), e jogo consistente e ofensivo contra Bayonne, a liderança está em boas mãos. Vitória boa também do Stade Français, em franca recuperação. O triunfo em Paris veio sobre o decepcionante Brive, a equipe mais inglesa da França. Um partidão dos parisienses. 44 x 16, e bons presságios para o início da Heineken Cup. O Stade voltou a crescer na hora certa. A outra equipe de Paris, o Racing Métro, obteve vitória vital, mas sofrida. 17 x 12 sobre Montauban, com François Steyn anotando seus primeiros pontos com a camisa dos Racingmen. No entanto, se o rugby demonstrando pelo time não é satisfatório.

Por fim, Toulouse bateu bem o ameaçado Montpellier, e o Bourgoin obteve preciosos pontos na vitória sobre o lanterna Albi.

Resultados:

Stade Français 44 x 16 Brive, em Paris

Castres 21 x 19 Toulon, em Castres

Clermont 38 x 13 Bayonne, em Clermont-Ferrand

Montpellier 12 x 30 Toulouse, em Montpellier

Racing Métro 17 x 13 Montauban, em Paris

Biarritz 27 x 12 Perpignan, em Biarritz

Bourgoin 26 x 16 Albi, em Bourgoin-Jallieu

Classificação, após 9 rodadas:

1 – Clermont – 30 pontos

2 – Castres – 29 p.

3 – Biarritz – 28 p.

4 – Perpignan – 27 p.

5 – Toulouse – 26 p.

6 – Stade Français – 24 p.

7 – Toulon – 21 p.

8 – Bourgoin – 20 p.

9 – Racing Métro – 19 p.

10 – Brive – 18 p.

11 – Montauban – 17 p.

12 – Bayonne – 16 p.

13 – Montpellier – 13 p.

14 – Albi – 8 p.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: