Porque o Rugby vai ser aceito amanhã


Não se trata de uma afirmação vinda de um fanático pelo esporte, e que acredito seja o mesmo pensamento de todos os jogadores e torcedores ao redor do mundo, mas uma constatação de que não só um bom trabalho pela IRB e os demais envolvidos na promoção do esporte foi feito, mas também o atual momento do esporte, e obviamente interesses financeiros, que move tudo. 

Confira amanhã a partir das 06h30 da manhã, pelo Blog do Rugby no Twitter e pelo Blog, os avanços da votação.

1) O Rugby é o segundo esporte mais praticado do mundo, tem o terceiro evento esportivo mais assistido (o Mundial de Rugby só perde para o Mundial de futebol e para os próprios jogos olímpicos) e cresce anualmente em todos os continentes (Chile, Brasil, Japão, China, Namíbia, Quênia), atraindo um público mais jovem para o esporte, ponto a favor do Rugby, já que o COI  procura exatamente isso. As pesquisas antes dos jogos de Pequim mostravam que o público médio do evento envelheceu e não atraia atenção dos jovens (advinha qual o público que tem cada vez mais  voz nas decisões de compra das famílias?).

2) O Sevens, como falou muito bem a Baby Futuro no vídeo promocional do IRB, tem um clima festivo, como o Carnaval, descontraído e dinâmico, o que deve atrair mais pessoas para os jogos. Vale lembrar que o Wellington Sevens teve todas as suas entradas esgotadas em 3 minutos, e apesar de esse evento ser sediado em um país com muita tradição, os Sevens sempre tem arenas lotadas. Nas olimpíadas, não são todos os esportes que tem ingresso pago, e pega mal arquibancadas vazias. O Rugby pode garantir receita para o evento.

3) Jacques Rogge, presidente do COI, jogou na seleção belga de Rugby e demontrou seu apoio ao esporte em março desse ano: ” O meu amor ao Rugby continua intacto. Simpatizo muito com as aspirações do Rugby, mas não tenho direito a voto.” Ainda assim é o presidente, e tem influência sobre os membros com direito à voto.

4) A modalidade que a IRB está propondo para os jogos olímpicos é o Sevens, competição que dura 2 dias geralmente, ideal para a curta duração dos jogos olímpicos, que dura 2 semanas. O Union, com quinze jogadores, era a modalidade praticada nos jogos até a década de 20, o que leva muito tempo. O Mundial de Rugby dura cerca de um mês e meio.

5) O fosso que separa as principais seleções do mundo no Rugby Union das demais é muito grande ao passo que no Sevens, vemos equilíbrio entre um número maior de seleções (O Quênia venceu a Nova Zelândia no Sevens de Hong Kong, o Zimbábue venceu a Argentina no Sevens da Namíbia).

6) A IRB fez a lição de casa. Buscou o apoio popular (existem várias petições pedindo a inclusão do esporte); chamou suas principais estrelas, homens e mulheres, ex-jogadores e jogadores de países com pouca representatividade no epsorte (Brasil, Uganda, Hong Kong e China) para falar sobre a importância das Olimpíadas para o Rugby; montou uma comitiva de respeito em Copenhagen, com nomes como Jonah Lomu e Agustín Pichot, além dos dirigentes; o discurso entre dirigentes de todos os países (até a formação de uma equipe da Grã Bretanha será criada) é único. Até a IWRF (Federação Internacional de Rugby em Cadeira de Rodas, um dos eventos mais populares das Paraolimpíadas) entrou na turma de apoio.

7)  O Rugby é inclusivo: seleções que nunca teriam chance de ganhar uma medalha olímpica, como Fiji, Samoa e Tonga veem literalmente uma chance de ouro para realizar esse sonho. A realização do evento em um continente onde o esporte apresenta bom crescimento e o IRB possui iniciativas oficiais de desenvolvimento (a Argentina recebe verba extra para incluir a equipe com mais ênfase no contexto mundial, e o Rugby só perde para o futebol em número de praticantes jovens), pode servir de impulso para novas iniciativas. As olimpíadas deverão ser um termômetro para ver a nossa receptividade ao Rugby. São poucos os esportes que congregam muitas nacionalidades em um mesmo evento jogando em níveis competitivos.

Agora, um ponto de atenção. Na última reunião do COI, o Rugby chegou à mesma etapa final, e os dirigentes optaram por não acrescentar nenhum esporte às Olimpíadas de 2012, mesmo sendo a Inglaterra o berço do esporte.

O Bandsports traz na sexta às 19h00, uma entrevista com Fernando Portugal, para discutir a inclusão ou não do Rugby nos jogos do Rio.

Anúncios

2 Respostas

  1. […] Rugbiers, estou postando este artigo que meu amigo Daniel Venturole postou em seu blog https://blogdorugby.wordpress.com/, pois achei o seu post bem […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: