Dubai, um Oásis à Beira do Golfo


Miragem nas longas areias escaldantes do deserto, a cidade-oásis de Dubai, atrai uma população de mais de 2,2 milhões, para a sombra das suas negociatas e investimentos de rápido retorno.

Saiba mais sobre a sede da primeira etapa da Série Mundial de Sevens, que começa amanhã!

O emirado de Dubai é um dos sete que compõem os Emirados Árabes Unidos, localizado ao longo do Golfo Pérsico na Península Arábica, e a sua capital é mundialmente conhecida pelos seus arranha-céus, largas avenidas e inovações arquitetônicas.

Os sete emirados dividem funções na política, defesa, e economia, sendo que o Dubai tem a maior população e a segunda maior área, depois de Abu Dabi.

A importância destes dois parceiros sobre os restantes emirados, manifesta-se pelo poder de veto que possuem sobre questões de importância nacional. Apesar de localizado numa região de grandes recursos petrolíferos, apenas 6% da receita de Dubai vem desses recursos, sendo a maior fatia proveniente do turismo, do comércio, setor imobiliário e serviços financeiros.

Esta divisão de receitas, na sua maior parte absurdamente especulativas, justifica a recente crise que o emirado atravessa, e que apenas com o apoio dos seus aliados será possível controlar.

Os enormes investimentos feitos em recentes anos, dos quais o Rugby tem beneficiado, nomeadamente com a construção do The Sevens, onde o Torneio tem lugar, correm o risco de fazer a bolha arrebentar, sendo o futuro incerto, quer para as grandes instituições financeiras envolvidas, como para o, relativamente, “peixe miúdo” que sempre lhes está associado.

Desde a descoberta de petróleo no emirado, em meados da década de 60, Dubai abandonou a idade média e avançou em direção ao futuro. Depois da criação dos Emirados Árabes Unidos, em 1971, Dubai consolidou a sua caminhada, aproveitando bem as receitas do ouro negro, e investindo fortemente na sua transformação no centro comercial e financeiro da região. A construção do porto de Jebel Ali, o maior porto do mundo construído pelo homem e a criação de uma zona franca, Jafza, ao redor do porto, foram passos importantes no desenvolvimento da cidade, apenas perturbada pela Guerra do Golfo, em 1990.

Durante algum tempo sentiu-se a retirada maciça de fundos, devido à incerteza das condições políticas na região, mas logo de seguida muitas comunidades de comércio exterior mudaram os seus negócios para a cidade, reforçando a decisão das autoridades em apostar no livre comércio e no turismo.

Já neste século, novas zonas francas foram criadas, e desde 2002 a cidade tem visto enormes investimentos imobiliários que deram à cidade um visual muito diferente daquele que tinha anteriormente.

Apesar de toda esta modernidade, o Dubai adota constitucionalmente o islã como religião oficial, sendo todos os imames funcionários públicos e 95% de todas as despesas com as mesquitas suportadas pelo estado. No entanto existem outras comunidades religiosas autorizadas no país, se bem que com determinadas restrições, o que alivia um pouco o ambiente e cria condições para a convivência entre as inúmeras raças que habitam o emirado.

Agora que já conhece a situação, pegue nos cartões de crédito e aproveite. No intervalo, vá assistir aos Sevens. Os participantes prometem espectáculos de grande qualidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: