Resultados do final de semana – Heineken Cup


Enquanto o hemifério sul está curtindo as férias, o norte está pegando fogo com a Heineken Cup e a Challenge Cup, na Europa, e com a reta final da Top League, no Japão. Vamos à primeira parte dos Resultados do final de semana: a Heineken Cup!

Grupo 1

Munster e Perpignan fizeram dois dos mais esperados confrontos desta primeira fase da Heineken Cup. O confronto entre os campeões da Liga Celta e do Top 14 francês, respectivamente, prometia decidir o grupo. E quase o fez, a favor dos irlandeses. Após vencer em Limerick, o Red Army foi à Catalunha francesa e destruiu os rivais com uma excelente apresentação. Dominou as ações do começo ao fim, com um excelente trabalho defensivo que anulou as ações mais incisivas francesas. Um try no primeiro tempo, anotado por Fogarty, e um na hora certa, antes da metade do segundo tempo, pelas mãos de Hurley. À essa altura, O’Gara e Mele duelavam em batalha particular nos penais, e mantinham o placar equilibrado. Mesmo placado por O’Leary, Guirado guardou o primeiro try do USAP aos 66 minutos, em lance muito difícil para a arbitragem. Quando se imaginava um final emocionante, com muita pressão francesa, o que se viu foi uma clara superioridade do Munster, que colocou mais dois tries, anotou um ponto de bonificação (na casa do adversário!) e saiu de campo com uma clara demonstração que o bicampeão europeu pode estar voltando aos trilhos das grandes vitórias. 37 x 14.

Na outra partida do grupo, uma grata surpresa. Teria sido fenomenal assistir a mais uma vitória italiana na Heineken Cup. Ela não ocorreu. Mas foi por pouco. Jogando no Vêneto, o Benetton Treviso pressionou e assustou o Northampton Saints. A atuação italiana na primeira etapa lembrou muito àquela da vitória sobre o inconstante Perpignan, com uma sólida defesa. O primeiro tempo virou com 7 x 3 para os Saints, com apenas um try obtido, e com muito sacrífico, por Dowson. Contudo, logo no primeiro minuto do segundo tempo, Clarke anotou novo try para os ingleses, dando a sensação de que a vitória seria mais tranquila no seugndo tempo. Mas os italianos esponderam logo, com try de Mulieri. Dowson fez outro try, aos 69 minutos, e o Treviso conseguiu um penalti try quatro minutos depois. Final sensacional, mas que terminou com o esperado: triunfo do Northampton, por 21 x 18. O técnico da equipe do Vêneto, Franco Smith, afirmou corretamente ao final da partida que o Benetton Treviso pode sim competir. Eles vem provando isso.

Agora, a vantagem é certamente irlandesa, já que o Munster receberá os Saints na última rodada.

Resultados:

Perpignan 14 x 37 Munster, em Perpignan, França

Benetton Treviso 18 x 21 Northampton Saints, em Treviso, Itália

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Munster – 15 pontos

2 – Northampton Saints – 13 p.

3 – Perpignan – 6 p.

4 – Benetton Treviso – 5 p.

Grupo 2

Desde o início o Grupo 2 parecia ser o mais fraco tecnicamente. E potencialmente previsível, caso o Biarritz voltasse a boas apresentações européias. E foi o que ocorreu. Jogando no Parc y Scarlets, de Llaneli, os bascos passaram fácil pelo Newport Gwent Dragons, por 26 x 8. O jogo não pôde ocorrer na casa dos Dragons pelo mau tempo, e, com isso, a vitória se tornou mais tranquila para o Biarritz, praticamente garantido nas quartas de finais. O único adversário com chances mínimas de tirar a liderança do BO é o Gloucester. Os Cherry and Whites receberam o Glasgow Warriors e obtiveram fundamental vitória. Com boas apresentações de Gareth Delve (oitavo), Nicky Robinson (abertura) e Simpson-Daniel (centro), e tries de Charlie Sharples (ponta) e Alex Brown (segunda linha), todos no segundo tempo, o Gloucester garantiu 19 x 6 no placar. E muito desapontamento pelo lado do Glasgow, líderes da Magners League.

Resultados:

Gloucester 19 x 6 Glasgow Warriors, em Gloucester, Inglaterra

Newport Gwent Dragons 8 x 26 Biarritz, em Llaneli, País de Gales

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Biarritz – 18 pontos

2 – Gloucester – 8 p.

3 – Newport Gwent Dragons – 5 p.

4 – Glasgow Warriors – 5 p.

Grupo 3

O grupo da morte teve mais um tenso capítulo. Jogando no Liberty Stadium, os Ospreys não tiveram dificuldade para superar os italianos do Viadana, por 45 x 19, e seguram a liderança de um grupo ainda totalmente indefinido. No duelo de aspirantes a título, o Leicester Tigers deu o troco no Clermont, mas não convenceu. Os confrontos entre estas duas equipes historicamente resultam em belíssimos espetáculos de dezenas de pontos. Desta vez, em Welford Road, a pontuação alta foi comprometida pelo frio. O que se assistiu foi um duelo de duas fortes defesas e possibilidades de virada no placar até o final. Anthony Allen anotou o primeiro try dos tigres, aos 26 minutos, em resposta aos 2 drop goals do australiano Brock James, para os jaunes (que jogaram de branco). No segundo tempo, James fez mais um drop goal, mantendo o Clermont mais do que vivo na partida. O aussie foi o destaque do Clermont, ao lado de Rougerie. Já pelo lado dos anfitriões, o destaque foi o homem que deu a vitória à equipe. Scott Hamilton inteceptou uma bola na hora certa na intermediária, correu livre no campo de defesa francês e anotou o try vencedor. James ainda teve tempo de anotou um penal, dando um ponto-bônus para seu time. Placar final: 20 x 15 para o Leicester.

O ponto-bônus veio em grande hora para os franceses. Nas duas próximas rodadas o Clermont recebérá os Ospreys e jogará fora contra o fraco Viadana. Já os ingleses ainda terão que enfrentar fora de casa os fortes galeses.

Resultados:

Ospreys 45 x 19 Viadana, em Swansea, País de Gales

Leicester Tigers 20 x 15 Clermont, em Leicester, Inglaterra

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Ospreys – 16 pontos

2 – Leicester Tigers – 12 p.

3 – Clermont – 12 p.

4 – Viadana – 0 p.

Grupo 4

Com dos resultados da quarta rodada, o Grupo 4 permanece indefinido, com 3 equipes mantendo chances de classificação. A vantagem é dos parisiense do Stade Français, que colocaram 4 pontos de vantagem sobre seus rivais mais próximos: Ulster e Edinburgh.

Nesta rodada, os escoceses ganharm uma sobrevida na luta pela ponta. Bateram, no Murrayfield, o agora lanterna Bath, por 9 x 6. O jogo pesado e sem tries foi decidido a favor do Edinburgh pelos pés de quem? Do velho, mas ainda certeiro, Chris Paterson.

Buscando expandir os horizontes da Heineken Cup – e os seus próprios -, o Stade Français marcou sua partida contra o Ulster na capital belga, Bruxelas. Mas o implacável frio europeu obrigou os organizadores a cancelar a partida. Muita neve e impossibilidade de uma partida de rugby de nível aceitável no sábado. O jogo foi remanejado para o domingo, e em Paris. O Stade Français necessitava muito da vitória, mas viu Ian Humphreys (irmão do lendário David Humphreys) anotar um penal logo a dois minutos de jogo para os irlandeses. Beauxis empatou a peleja em dois minutos, e Szarzewski anotou o primeiro try francês cinco minutos depois. Na sequência se assistiu a uma intensa competição de penais, com Beauxis anotando 3 e Humphreys 2. Mas o dia era dos hookers parisienses. Benjamin Kayser entrou no lugar de Szarzewski e anotou o segundo try para a sua equipe. Trimble diminuiu anotando o tento do Ulster, mas já não adiantava mais. Vitória do Stade Français, por 29 x 16. Os White Knights irlandeses ainda receberão o Edinburgh, e o Stade Français jogará fora contra os Gunners escoceses.

Resultados:

Edinburgh 9 x 6 Bath, em Edimburgo, Escócia

Stade Français 29 x 16 Ulster, em Paris, França

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Stade Français – 13 pontos

2 – Ulster – 9 p.

3 – Edinburgh – 9 p.

4 – Bath – 6

Grupo 5

No Grupo 5, a vantagem é também francesa, do Toulouse, mas com os ingleses do Sale Sharks supreendentemente na cola. No sábado, os gigantes do sul da França receberam os galeses do Cardiff Blues (vestindo rosa), que vinham a apenas 1 ponto atrás na classificação. Michalak abriu o placar para o Toulouse aos 12 minutos. No minuto seguinte, Paul Tito levou cartão amarelo, e esse foi o fator preponderante para a derrota de seu time. No último lance antes de seu retorno, os anfitriões anotaram seu primeiro e único try na partida.  Após grande pressão do ataque francês, Dusautoir quebrou a defesa rosa e anotou um merecido try. Porém, a alegria das mais de 30,000 pessoas que estiveram no Stade Municipal de Toulouse não durou muito. O pilarzão dos Blues Faao Filise anotou o try após boa jogada de Norton Knight. E para piorar as coisas para os franceses, Albacete levou cartão amarelo logo no fim da primeira etapa. A segunda etapa começou com melhores perspectivas para os galeses, que jogaram fora a superioridade numérica. Aos 44 minutos, Powell foi expulso, abrindo espaço para o Toulouse. Michalak aproveitou bem, anotou 4 penais e 1 drop, dando à vitória e a liderança aos tricampeões.

Na outra partida, com muita neve, o Sale Sharks recebeu os Harlequins em partida ente um time que necessitava muito vence (Sale) e um quase sem esperanças (Quins). E o jogo começou alucinante. O oitavo Koyamaibole anotou o primeiro try para os tubarões, logo aos 3 minutos de jogo, mas o abertura Nick Evans deu o troco para os Quins, com um try que pôs os londrinos na frente.  A vantagem foi ampliada aos 28 minutos, com try do pilar Aston Croall. Mas o Sale tinha Hodgson. Em boa fase, o abertura anotou 2 penais e deixou sua equipe no páreo. A virada se deu com um try de Lewis-Roberts, outro pilar (o sindicato estava inspirado!). Hodgson anotou mais 6 pontos e os Quins não foram capazes de esboçar reação na segunda etapa. Vitória dos tubarões, que encostaram no Toulouse na luta pela classificação.

Na última rodada Toulouse e Sale Sharks se enfrentarão na Inglaterra, em partida que promete muito e que pode reverter a sorte a favor dos ingleses. Contudo, os tubarões terão antes que ir a Cardiff enfrentar os Blues, que necessitam de qualquer jeito da vitória. Grande final para o Grupo 5!

Resultados:

Toulouse 23 x 7 Cardiff Blues, em Toulouse, França

Sale Sharks 21 x 17 Harlequins, em Stockport, Inglaterra

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Toulouse – 14 pontos

2 – Sale Sharks – 13 p.

3 – Cardiff Blues – 9 p.

4 – Harlequins – 2 p.

Grupo 6

Por fim, o grupo dos atuais campeões. Jogando em Dublin, o Leinster não teve nenhum problema para passar pelos Scarlets. O saldo da partida foi um domínio completo dos irlandeses, que fizeram 7 tries! Todos anotados pela brilhante linha titular da seleção nacional. Brian O’Driscoll, Gordon D’Arcy e Rob Kearney anotaram dois tries cada, e Shane Horgan fez um. Grande jogo dos campeões, que mostraram um excelente rugby na hora certa. 39 x 7, sobre uma equipe que prometia tanto após ótimas atuações nas primeiras rodadas, mas que sucumbiu diante dos leões de Dublin. Após ser derrotado na Magners League pelos Dragons, o Leinster deu uma boa demonstração de força neste sábado.

Na outra partida, o London Irish recebeu o frágil Brive e venceu com facilidade. A melhor equipe inglesa da atual Heineken Cup jogou fácil, anotou 4 tries – o último pelas mãos de Delon Armitage, aos 80 minutos – e obteve 5 essenciais pontos, ficando em igualdade de pontos com o Leinster.

Na última rodada, o London Irish receberá o Leinster. Contudo, os dois times poderão estarão já praticamente classificados, já que após 4 rodadas o melhor vice é do Grupo 6.

Resultados:

London Irish 34 x 13 Brive, em Reading, Inglaterra

Leinster 39 x 7 Scarlets, em Dublin, Irlanda

Classificação, após 4 rodadas:

1 – Leinster – 15 pontos

2 – London Irish – 15 p.

3 – Scarlets – 8 p.

4 – Brive – 0 p.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: