Retrospectiva 2009 – Brasil


Continuamos com a segunda parte da retrospectiva 2009, desta vez dedicada ao que de mais importante aconteceu no Rugby nacional.

Listas sempre podem gerar discordâncias, mas acredito que cubram bem o ano de 2009.

Brasil é 10º no Mundial de Sevens de Dubai

O Mundial de Dubai, em março desse ano, foi o ápice de uma escalada que não começou na campanha do tetra campeonato sulamericano (antes mesmo do mundial, já eram pentacampeãs, invencíveis há cinco anos, feito memorável), mas anos antes, com a formação da seleção e o ínicio das participações em sulamericanos, sempre mantendo uma base constante de jogadoras das principais equipes do país.

Tampouco foi uma escalada fácil, onde as adversárias sulamericanas se mostraram o menor dos desafios. A falta de apoio financeiro e reconhecimento fora dos círculos do Rugby se mostraram barreiras mais difíceis de serem superadas, mas como sempre, as Amazonas com graça e garra, encontraram meios de conquistar seus objetivos e chegaram ao Mundial, como incógnita para boa parte das equipes estrangeiras (salvo o torneio de Amsterdã, preparatório para o Mundial, pouco se sabia sobre a nossa seleção).

Ao longo do torneio, no entanto, mostraram que no país do futebol existe Rugby de boa qualidade, e jogado com amor. Depois de sofrerem derrotas jás epseradas para as canadenses e espanholas, mais experientes, e vencer outra boa surpresa da competição, a Tailândia, na primeira fase, a seleção conseguiu boa vitória frente Uganda e depois, sobre as russas (na prorrogação e de virada!), o que as credenciou a disputar a final da Bowl, o equivalente à Taça Bronze, como estamos mais acostumados. As chinesas vieram de boa campanha, e conseguiram arrancar a vitória frente as nossas meninas, por apenas 3 pontos, conquistando a Bowl, o que em nada diminuiu a conquista das comandadas do grande Flávio Santos.

A décima posição e a habilidade das nossas jogadoras rendeu convites posteriores para participarem de outros campeonatos, mas os problemas financeiros ainda impedem o crescimento mais acelerado da equipe. Com a repercussão do calendário e das conquistas recentes, as jogadoras participaram de inúmeros programas de TV ( Faustão, Globo News e Pânico, entre outros mais recentes), além de  ceder entrevistas ao site do IRB e até fazerem campanha pelas olimpíadas no Rio. Espera-se que em 2010, o cenário seja um pouco melhor para a equipe que coloca o Rugby Brasileiro no mapa do esporte.

Confira o artigo sobre a campanha brasileira

Cobertura do Rugby nacional

Esse ano vai ficar marcado pela grande ampliação do espaço na mídia dedicado ao Rugby nacional. Tivemos a criação de mais sites/blogs específicos sobre o esporte. Até cercade 3 anos atrás, o Martoni e o Rugby Mania, reinavam sozinnhos nessa área, e, apesar de ainda serem referência quando o assunto é Rugby, ganharam a companhia de peso do Blog do Rugby, Rugby Spirit (do Portugal e Putim), Rugbiers, que cobre a região sul e a participação mais ativa do Rouget Maia pela ESPN, além de notícias esporádicas em sites como Terra, IG, Lance e G1, que se não acrescentaram tanto quando o assunto é conteúdo, serviram definitivamente para levar o esporte às massas.

O momento atual não lembra em nada os tempos em que meu amigo João Olivério, criador do Rugby News (e hoje responsável pelo marketing do GRAB) se virava para levar as notícias do Rugby pelo mundo para todos nós, numa época em que se usava ICQ, não tínhamos orkut (casa da muito ativa comunidade Rugby Brasil) e banda larga era qualquer velocidade acima de 56K.

Na TV, vimos um grande número de matérias sobre o esporte, cobrindo a região sul, centro oeste, interior de São Paulo e capital, nordeste e Rio de Janeiro, sempre com o intuito de informar o público sobre esse esporte tão estranho ao povo acostumado a chutar uma bola redonda. A ESPN intensificou a transmissão de campeonatos como a Heineken Cup, conseguindo boa audiência, sempre com os comentários do Martoni. Em 2010, a emissora deve transmitir o Six Nations, então , todos devem ficar atentos, porque veremos muito mais Rugby na TV, e essa deverá ser uma tendência, já que teremos Rugby no Pan de 2011 em Guadalajara. 

France Federale joga contra o Brasil

OK, não eram os Bleus enfrentando os nossos Carcarás, mas mesmo assim, durante as comemorações do ano da França no Brasil, o Rugby não poderia passar em branco. Em agosto, jogamos contra a seleção formada por jogadores da terceira divisão francesa, em São José dos Campos e em Embu, reunindo no total, quase 6 mil pessoas.

Recebidos como todo estrangeiro no Brasil, ou seja com churrasco e mulatas, os jogadores franceses não entraram no clima festivo e propiciaram um grande desafio à nossa seleção, saindo com 2 vitórias por boa diferença de pontos. Sem recursos financeiros para enfrentar seleções de nível técnico mais próximo do nosso, as partidas deram uma pequena demonstração de como nos situamos no cenário internacional (segundo o Manuel Cabral, aqui do Blog do Rugby, a equipe é pouco superior à Portugal e Rússia, que jogam a Copa das Nações – espécie de Six Nations B).

O governo português  manifestou interesse em realizar o ano de Portugal no Brasil então pode ser mais uma oportunidade para enfrentarmos outra boa equipe européia no curto prazo.

Confira os artigos do Blog, sobre o jogo em Embu e em São José dos Campos

Problemas no Super 8

Agosto também foi o mês de início do Super 8, a principal competição do Rugby nacional, agrupando as mais fortes equipes do país, mas o que se viu, foi uma Super novela, com direito à ameaças ao árbitro Renato Scalércio, WOs, regulamentos confusos, mandos e desmandos, afastamento de árbitros (por vontade própria, diga-se) e recursos na ABR, que serviu para mostrar o quão carente estamos de infra estrutura no país que pretende sediar o Mundial de Sevens de 2013.

Apesar dos problemas iniciais, as equipes fizeram partidas muito disputadas, sendo que nehuma equipe terminou o campeonato de maneira invicta, e o vicce campeonato foi extremamente disputado. Passados (mas não completamente superados) todos os problemas, o Bandeirantes sagrou-se campeão, com méritos, após ótima campanha, que contou 6 vitórias e 1 derrota. O Rio Branco ficou com a lanterna, também definida apenas na última rodada, em confronto direto com o SPAC, mas se manteve na elite do Rugby brasileiro ao vencer a boa equipe do BH Rugby, bicampeã da Copa do Brasil.

Confira alguns dos artigos que o Blog do rugby produziu sobre o Super 8 – Problemas do Super 8, afastamento de Renato Scalércio, Band campeão

Brasil M19 faz bonito no sulamericano e as meninas dominam

No mês de setembro, o Brasil foi até Tucumán, para mais uma edição do campeonato sulamericano junior de Rugby, e conseguiu bons resultados, com a vitória sobre os paraguaios e uma derrota por apenas 9 pontos para os Condoritos, a versão Junior do Chile, que conseguiu a terceira posição no Troféu Mundial Junior nesse ano, uma espécie de segunda divisão do Mundial de Rugby para a categoria.

O Rugby no Brasil com certeza está bem encaminhado, todos acompanharemos a evolução dos garotos, que, ao contrário das seleções adultas de um tempo atrás, vem cada vez mais com jogadores de diversos estados do país, e não todos de São Paulo, mais um indício de que a geografia do Rugby brasileiro está mundando, de modo natural.

No mesmo mês, as meninas do SPAC conquistaram o 1º sulamericano de clubes, ao vencer o Ceibos do Uruguai por 10 a 5, na prorrogação, mostrando que a supremacia das mulheres se estende aos clubes. O Charrua também participou do campeonato.

 

Rio 2016. O Rugby está nessa.

Em outubro, não se falou em outra coisa que não fosse Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro, a primeira realizada no continente sulamericano. Para nós, amantes do Rugby, o evento será duplamente especial, pois o evento marcará o retorno do Rugby aos jogos olímpicos depois de um hiato de 92 anos (a última edição foi em 1924). O Rugby cresceu muito nos últimos 20 anos, e com certeza a IRB fará todo o necessário para que o esporte se mantenha no programa oficial (o esporte só está garantindo para 2016 e 2020).

Para convencer os membros do COI, a IRB levou representantes de diferentes continentes, masculinos e femininnos, além da lenda do esporte Jonah Lomu, e responderam adequadamente a todos os questionamentos do comitê, garantindo uma aprovação folgada.

No passado, a IRB tratou com desdém o evento que levou ao seu banimento.

O Blog do Rugby fez uma série de posts sobre o Rugby nas Olimpíadas, que merecem uma olhada, mostrando os antecedentes do esporte nos jogos e o que nos espera.  Confira Porque o Rugby saiu das Olimpíadas?, Porque o Rugby vai ser aceito amanhã, Porque o Rugby entrou nas olimpíadas, Impacto do Rugby nas Olimpíadas

 

Censo do Rugby

Em novembro, a ABR (hoje CBRu), divulgou o resultado do Censo nacional, grande iniciativa para conhecer melhor o perfil dos praticantes de Rugby no país e que deverá servir de guia para futuras ações de desenvolvimento. O resultado apontou algumas coisas que já era notado pelo meu contato com outros clubes, como por exemplo, a concentração dos praticantes, que agora se espalham pelo sul e nordeste, apesar de ter presença muito forte no estado de São Paulo, pouca quantidade de jogadores nas categorias de base, vital para o desenvolvimento sustentável do esporte, e a imensa vontade em adquirir apoio técnico e legal para colocar os clubes na formalidade. Hoje, a grande maioria “não existe”.

Confira o post no Blog – Censo Nacional – resultados e análise

 

Topper veste a seleção

Em dezembro, durante o SPAC Sevens (fotos aqui), foi anunciado o patrocínio da Topper, que deverá vestir a seleção brasileira pelos próximos anos. A apresentação foi feita em grande estilo, com a presença do diretor da Alpargatas (dona da Topper) e alguns jogadores sdas seleções masculinas e femininas vestindo 3 versões do uniforme (mais o uniforme de treino). A Club Rugby e a MPW já haviam vestido a nossa seleção, mas é a primeira vez que uma marca de abrangência nacional toma a iniciativa de produzir uniformes para o Rugby.

Assim, será possível adquirir (a previsão é ainda no primeiro trimestre de 2010) a sua camisa favorita da seleção na loja mais próxima. Mais um passo fundamental para a disseminação do esporte no país.

No sulamericano de janeiro, o Brasil já vestirá as camisas novas.

 

Brasil supera Uruguai no no Sevens

Ainda em dezembro, o Brasil participou do Sevens de la Republica, tradicional campeonato realizado na Argentina, e conseguiu grande vitória sobre o Uruguai, atual vice campeão sulamericano, por 21 a 5, feito inédito.

Apesar de tropeços seguintes, o país terminou na 15ª posição, duas a frente do Uruguai e 6 à frente do Chile, as únicas seleções presentes no torneio.

Anúncios

Uma resposta

  1. muito bom, HP!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: