Resumo do final de semana


Estréia da nova/velha coluna do Blog do Rugby, o “Resumo do final de semana”! Novo porque o nome mudou, mas velho porque ela herdou o propósito original dos “Resultados do final de semana”, isto é, um relato do que rolou de melhor no mundo do rugby union profissional. As equipes britânicas e japonesas estiveram em campo no último final de semana. Magners League, Guinness Premiership e Top League para o nosso leitor de fim de ano!

Décima primeira e úiltima rodada do primeiro turno da Magners League, a Liga Celta de rugby. Jogo histórico no estádio Firhill de Glasgow, Escócia.  Valendo a liderança da competição e a 1872 Cup, Glasgow Warriors e Edinburgh se encontraram no duelo profissional do rugby escocês. O fato de ambas as equipes, até o kick off da partida, ocuparem as duas primeiras posições da liga, por si só, já era um momento histórico para o rugby do país. As quase 9 mil pessoas presentes assistiram a um excelente início de partida, com um duelo de penais entre Dan Parks, dos Warriors, e o veterano de mira afiada Chris Paterson. No 11º minuto de jogo, Parks converteu um penal que lhe conferiu o status histórico de primeiro jogador a alcançar a marca dos mil pontos na Liga Celta. Aos 40 minutos, no finzinho da primeira etapa, a contagem estava 12 x 9 para os anfitirões, com Parks levando a melhor. O abertura dos azuis, contudo, não se contentou com seu feito marcante e quis um dia perfeito, chutando para um excelente drop goal. Mas Paterson pôs mais um penal à favor dos gunners e deixou a vantagem adversária em 3 pontos,  mantendo 100% de aproveitamento. Aos 50 minutos, o oitavo Richie Vernon quebrou a defesa de Edimburgo após scrum e anotou o primeiro try do jogo para os Warriors. Parks converteu o try e ainda anotou mais um chute de penal. Paterson não conseguiu mais acertar a pontaria e a boa defesa do time da casa garantiu a vitória. 20 x 15, e liderança do rugby celta para os guerreiros escoceses!

A rodada foi de clássicos nacionais. No País de Gales, em pleno Boxing Day, os Scarlets, muito mal no certame, receberam os Ospreys, em duelo que remete à tradicional e ardente rivalidade entre três dos maiores clubes do país: Llaneli (Scarlets), Neath e Swansea (Ospreys). O Derby do Oeste Galês (West Wales Derby) valia muito para ambos. Os vermelhos precisavam muito tirar o pé da lama, enquanto os negros necessitavam do triunfo para continuar firmes na briga pelo título. E quem brihou no duelo foi o pilarzão Paul James, dos Ospreys. Após boa jogada de Tommy Bowe e Dan Biggar, o jogador “do sindicato” anotou o primeiro try, correndo livre para o in-goal escarlate. Mesmo detendo a maior parte da posse de bola, os anfitriões não conseguir transformá-la em pontos, parando na defesa de Alun Wyn Jones, Jerry Collins e Ian Gough. Contudo, ao final do primeiro tempo, os chutes de Stephen Jones e Priestland haviam colocado os Scarlets em vantagem na partida. Mas veio o segundo tempo e outro try de James, correndo pela ponta. Edwards ainda conseguiu um try para o time de Llaneli, mas já era tarde demais. Vitória dos Ospreys, por 21 x 14.

No outro embate galês, o Cardiff Blues recebeu e atropelou o Newport Gwent Dragons, por 42 x 13. O ponta Aled Brew, dos Dragões, quis estragar a festa da torcida azul da capital, com um try logo aos 10 minutos de jogo. Mas o segundo tempo do time de casa foi fulminante.  5 tries nos últimos 40 minutos de jogo, e grande vitória!

Nos duelos irlandeses, vitórias de Munster, agora quarto colocado, e Leinster, vice-líder. O time do sul (Munster) recebeu no coração do rugby nacional (a cidade de Limerick) a ovelha negra (ou verde) do país, o Connacht. O jogo não poderia ter outro resultado, vitória do Red Army por 35 x 3, com direito a ponto-bônus. Já na capital da República da Irlanda, Dublin, o Leinster recebeu o Ulster, em duelo de grande rivalidade. As animosidades entre Dublin (Leinster) e Belfast (Ulster e Irlanda do Norte) estiveram em campo, mas de forma pacífica, como é tradição no mundo da bola oval. Os norte-irlandeses começaram com tudo, buscando a primeira vitória em Dublin nos últimos 10 anos. Nem mesmo o cartão amerelo recebido por Thomas Anderson fez a pressão esfriar. Mas os Leões azuis eram mais fortes, e Rob Kearney correu para o primeiro try do time da casa aos 33 minutos, após grande jogada de D’Arcy. Heaslip fez mais um try no início do segundo tempo, e a vitória já estava bem encaminhada. 15 x 3 para os atuais campeões europeus.

Resultados:

Scarlets 14 x 21 Ospreys, em Llaneli, País de Gales

Leinster 15 x 3 Ulster, em Dublin, Irlanda

Munster 35 x 3 Connacht, em Limerick, Irlanda

Glasgow Warriors 25 x 12 Edinburgh, em Glasgow, Escócia

Cardiff Blues 42 x 13 Newport Gwent Dragons, em Cardiff, País de Gales

Classificação, após 9 rodadas:

1 – Glasgow Warriors – 27 pontos

2 – Leinster – 26 p.

3 – Ospreys – 25 p.

4 – Munster – 25 p.

5 – Edinburgh – 23 p.

6 – Newport Gwent Dragons – 22 p.

7 – Cardiff Blues – 19 p.

8 – Ulster – 19 p.

9 – Scarlets – 13 p.

10 – Connacht – 9 p.

Finalmente caiu o último invicto das ligas européias! E foi na rodada de encerramento do primeiro turno da Guinness Premiership. Os até então donos absolutos do Campeonato Inglês, os Saracens, sucumbiram diante de outra equipe londrina, o London Irish, que segue firme na vice-liderança do certame. O ótimo público presente na cidade de Reading viu um começo de partida eletrizante. Logo aos 3 minutos, os Saracens deram uma demonstração de seu poderio com um drop goal chutado pelo ful back Alex Goode. Aos 9′, o asa Justin Melck pegou o rebote do lateral e anotou o primeiro try dos sarracenos, convertido por Jackson. Aos 11′. Hala’ufia, oitavo dos verdes, recebeu passe de Steffon Armitage e diminui o placar para o Irish, para a festa da torcida. No segundo tempo, a pressão foi dos Exiles, com dois penais anotados por Chris Malone. Com isso, o London Irish encostou no placar. E virou o jogo aos 69′, quando o centro Seveali’i correu para o try da vitória. 23 x 19!

No outro clássico de Londres, os rivais Harlequins e London Wasps jogaram no estádio de Twickenham, para um esplêndido público de quase 77 mil pessoas. Após boa jogada do segunda linha George Skivington e erro fatal do ponta dos Quins David Strettle, o half das vespas Joe Simpson correu para anotar primeiro try logo aos 2′ do duelo. Mas o ensaio não foi convertido, o que deu a chance a Nick Evans, por meio de dois penais, de virar o jogo a favor dos desesperados Quins, que precisavam da vitória entrarem na briga direta pelas vagas para a próxima Heineken Cup. Muito mal em campo, Danny Cipriani conseguiu perder 5 dos 7 penais que os Quins concederam aos Wasps. Mas o dois convertidos deram a liderança no placar para sua equipe. Substituido por Walder, aos 57′, Cipriani assistiu ao triunfo suado de seu time. O try de John Hart, aos 74′, foi crucial para o resultado da peleja. Antes, aos 68′, Danny Care, o incisivo half dos Quins, havia anotado um impresindível try para sua equipe, que colocara os Harlequins em vantagem. Faltando 1 minuto para o fim do tempo regulamentar, Strettle correu para um try que deu sobrevida a seu time, convertido por Evans. Mas não havia tempo para mais nada. 21 x 20 para os Wasps, e quinta lugar na classificação, com 1 jogo a menos.

O terceiro colocado é o Northampton Saints. que não encontraram dificuldades para sobrepujar o Worcester Warriors, fora de casa. Com tries de Chris Ashton, Ben Foden e Phil Dowson os santos verdes garantiram a boa e merecida classificação. O quarto posto é do Leicester Tigers, que bateu facilmente o inconstante Sale Sharks, por 32 x 6. A vitória com 4 tries deu aos tigres um muito bem-vindo ponto-bônus. Agora, o time das East Midlands já está a 24 jogos sem perder em casa, no caldeirão de Welford Road. Em duelo do norte, o Newcastle Falcons conseguiu perder para o lanterna Leeds Carnegie, que entrará no segundo turno bem vivo na luto contra o descenso. A vitória fora de casa por 16 x 15 veio na hora certa para os homens de Yorkshire.

Por fim, a 11ª rodada da Guinness Premiership teve o grande lássico do West Country, Bath x Gloucester. Em outros anos, este teria sido um encontro fabuloso, entre duas das mais poderosas equipes da Inglaterra. Mas a realidade atual foge e muito disso. Gloucester e, sobretudo, Bath vivem uma temporada de crise, e o clássico do dia 26/12 refletiu o desespero por uma vitória da parte azul do duelo. O Bath ainda não havia conseguido nenhuma vitória em casa, no Recreation Ground, e um triunfo sobre o rival é o que mais precisava a equipe da cidade romana em sua campanha contra o rebaixamento. Os visitantes começaram assustando a torcida presente, com um penal convertido pelo abertura galês Nicky Robinson. Somento no último minuto da primeira etapa o Bath empatou, com um chute de penal batido por Nicky Little. O fijiano continuou sua boa fase nos chutes, anotando mais 9 pontos na segunda etapa. Aos 69′, o full back Jack Cuthbert, saído do banco de reservas, anotou seu primeiro try na temporada, e na hora mais precisa, após quebrar a efusiva resistência da defesa dos Cherry and Whites. Poucos minutos depois, Matt Banahan correu para mais um try para o Bath, selando a vitória, 24 x 8.

Resultados:

Worcester Warriors 6 x 26 Northampton Saints, em Worcester

Leicester Tigers 32 x 6 Sale Sharks, em Leicester

Bath 24 x 8 Gloucester, em Bath

London Irish 23 x 19 Saracens, em Reading

Newcastle Falcons 15 x 16 Leeds Carnegie, em Newcastle

Harlequins 20 x 21 London Wasps, em Londres

Classificação, após 11 rodadas:

1 – Saracens – 39 pontos

2 – London Irish 36 p.

3 – Northampton Saints 35 p.

4 – Leicester Tigers 32 p.

5 – London Wasps – 10j; 30 p.

6 – Harlequins – 23 p.

7 – Newcastle Falcons – 21 p.

8 – Gloucester – 19 p.

9 – Sale Sharks – 10 j; 18 p.

10 – Worcester Warriors – 17 p.

11 – Bath – 16 p.

12 – Leeds Carnegie – 13 p.

Com apenas metade dos times em campo e com muitos jogos atrasados – devido ao mal tempo de fim de ano na Europa -, a segunda divisão inglesa, The Championship, assistiu ao grande jogo do campeonato: Bristol x Exeter Chiefs. O embate entre o líder da competição e o considerado favorito para a promoção era muito esperado. No primeiro turno, a vitória dos Chiefs em pleno Memorial Ground de Bristol havia impressionado a todos na liga. Mas a hora da revanche chegou para o time do West Country: 25 x 16, e líderança de novo nas mãos do Bristol. No derby do sul, o time da Cornuália, o Cornish Pirates, derrotou o time de origem escocesa de Devon, o Plymouth Arbion; e o Bedford Blues passou pelo London Welsh.

Bedford Blues 30 x 23 London Welsh, em Bedford

Exeter Chiefs 16 x 25 Bristol, em Exeter

Cornish Pirates 46 x 7 Plymouth Albion, em Camborne

Classificação:

1 – Bristol – 15 jogos, 62 pontos

2 – Exeter Chiefs – 15 j; 58 p.

3 – Cornish Pirates – 15 j; 41 p.

4 – London Welsh – 15 j; 39 p.

5 – Nottingham – 13j; 39 p.

6 – Bedford Blues – 15 j; 37 p.

7 – Plymouth Albion – 15 j; 32 p.

8 – Doncaster Knights – 14 j; 28 p.

9 – Moseley – 14 j; 25 p.

10 – Rotherham Titans – 14 j; 23 p.

11 – Coventry – 14 j; 7 p.

12 – Birmingham & Solihull Bees – 13 j; -13 p.

ps: Birmingham & Solihull Bees e Coventry tiveram 15 pontos retirados; London Welsh teve 5 pontos retirados.

A Top League japonesa chegou à penúltima rodada com uma emocionante briga pela primeira colocação. Sanyo Wildknights e Suntory Sungoliath ganharam e estão separados por apenas 1 ponto, restando apenas 1 rodada, na qual os dois se enfrentarão. Grande final de liga no Japão!A briga entre o time dos produtos eletrônicos (Sanyo) e o time da cervejaria japonesa (Suntory) promete.

Apesar da intensa briga pela ponta, as semifinais já estão definidas. Além dos dois ponteiros, Toshiba Brave Lupus e Toyota Verblitz já estão garantidos no mata-mata. Os rebaixados também já estão definidos: Honda Heat e Kyuden Voltex, de pífia campanha.

Resultados:

Sanyo Wildknights 42 x 15 Yamaha Júbilo

Suntory Sungoliath 59 x 22 Toshiba Brave Lupus

Honda Heat 17 x 27 NEC Green Rockets

Kintetsu Liners 18 x 23 Kubota Spears

Fukuoka Sanix Blues 43 x 21 Ricoh Black Rams

Kyuden Voltex 14 x 55 Toyota Verblitz

Kobelco Steelers 70 x 10 Coca Cola West Red Sparks

Classificação, após 12 rodadas:

1 – Sanyo Wildknights – 57 pontos

2 – Suntory Sungoliath – 56 p.

3 – Toshiba Brave Lupus – 47 p.

4 – Toyota Verblitz – 43 p.

5 – Kobelco Steelers – 37 p.

6 – Yamaha Júbilo – 30 p.

7 – Kubota Spears – 26 p.

8 – Fukuoka Sanix Blues – 26 p.

9 – Coca-Cola West Red Sparks – 26 p.

10 – Kintetsu Liners – 23 p.

11 – NEC Green Rockets – 20 p.

12 – Ricoh Black Rams – 19 p.

13 – Honda Heat – 8 p.

14 – Kyuden Voltex – 3 p.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: