Análise, Regulamento e tabela do Curitiba Sevens! (atualizado)


Confira neste post o regulamento, a tabela da 4ª etapa do Circuito brasileiro de Sevens, e as normas do alojamento da competição, para quem escolheu se hospedar lá.

Confira ainda a análise dos grupos que disputam a competição e torça pelo seu favorito!

Obs.: ao contrário do que havia afirmado anteriormente, o SPAC não está invicto frente seus oponentes do grupo. Perdeu para o Desterro por 12 a 05 no Niterói Sevens. Agradeço os que identificaram o erro.

 

Confira a análise dos grupos:

Adulto Masculino

Grupo A:

A jovem equipe do Maringá faz a sua estreia em uma edição do Circuito Brasileiro de Sevens, e de cara enfrenta uma pedreira, com o atual líder, São José, seus conterrâneos e anfitriões do evento, o Curitiba e a Farmácia USP, uma das melhores equipes universitárias, que se destaca também no Sevens. Considerando a equipe como inexperiente, diria que é o azarão do grupo, mas o Costão Norte (SC) viveu situação semelhante, e provou no SPAC Sevens que isso não significa nada, ao vencer o Rio Branco e se qualificar para a Taça de Prata na ocasião.

Apesar de sustentar apenas a oitava posição no circuito desse ano, o Curitiba joga com o apoio da torcida que pode ser fundamental em jogos difíceis contra o São José e a Farmácia e querem um bom resultado depois da má jornada no SPAC Sevens, quando ficaram apenas com a 18ª posição. O jogo contra a Farmácia deve ser o aquele que decidirá a vaga na Taça de Prata.

A Farma USP vem com boas credenciais para a competição, com o vice campeonato no FEA Sevens, a 11ª posição no SPAC Sevens (melhor equipe universitária), e uma nessa edição para o atual líder São José, quando os joseenses marcaram 19 a zero sobre os universitários. Menos de dois meses depois, o confronto se repete.

O São José é o atual líder da competição, mas ficou na sexta posição no SPAC Sevens. Apesar de não ter vida fácil, deve passar como líder do grupo. Os classificados no grupo não terão vida fácil, pois encontram no grupo B, equipes de tradição no Seven.

Grupo B:

O Bandeirantes é o cabeça de chave no grupo, mas compartilha o favoritismo com o Desterro, além da UFF e os Uruatus, da Univesidade Federal do Paraná. O Band já enfrentou e venceu a UFF no Sevens de São José, por 29 a zero, em 2009, e vem da 4ª colocação no SPAC Sevens, uma posição à frente do Desterro. Na classificação geral, o equilíbrio se repete, com os paulistanos ocupando também a 4ª colocação, uma posição e apenas 1 ponto a mais que a equipe de Florianópolis. Ambas equipes devem se classificar em primeiro e segundo lugar.

A UFF venceu a terceira edição do FEA Sevens, ao bater a forte equipe da Farmácia, mas obteve apenas a 16ªposição no SPAC Sevens, à frente apenas da Unicamp entre os universitários. Tem uma boa equipe, mas talvez não consiga fazer frente para Desterro e Bandeirantes. Desconheço os Uruatus, mas é sempre bom ver equipes universitárias fora do estado de São Paulo, e espero que comecem a aparecer mais no cenário nacional.

Nas 3 etapas anteriores, já ocorreram diversos confrontos entre as equipes dos grupos A e B, curiosamente, sempre com resultados favoráveis às equipes do grupo A, com exceção da vitória do Desterro sobre o São José no SPAC Sevens.

Grupo C:

O SPAC é o cabeça de chave do grupo e também favorito, devido sua boa campanha na edição sediada em seus campos, onde conseguiu a terceira posição, posição que também ocupa na classificação geral do Circuito. O Rio Branco ocupa atualmente a sexta posição, e foi campeão da Taça Bronze no SPAC.

O Rio Branco foi jogado para Bronze devido seu primeiro adversário do fim de semana, o Costão Norte, equipe de Santa Catarina que venceu a equipe paulistana ainda na fase de grupos, por 17 a 5, mostrando um jogo correto, com bons passes e sem muita variação nas jogadas, mas com muita velocidade, se valendo dessa característica para vencer a pesada equipe adversária. Os catarinenses ainda enfrentaram o Niterói na Taça de Prata, mas acabaam derrotados e conquistaram a 8ª posição, uma a frente do Rio Branco. É hora da revanche!

Desconheço a equipe Tackle Mídias, e por isso não faço comentários a respeito dos seus integrantes. Se for algo parecido com a equipe do Inimigos do Sebá, vai dar muito trabalho.

Grupo D:

O grupo D é encabeçado pelo atual vice líder do circuito e segundo colocado no SPAC, o Pasteur, após jogo emocionante partida frente o Inimigos do Sebá (combinado de jogadores da URBA, Sebá e jogadores do Rio Branco), e vem com tudo para confirmar o seu favoritismo e vencer o grupo. Mas não terá tarefa fácil pela frente. O IlhaRugby está na chave e já registrou bons resultados contra equipes de expressão, como o Bandeirantes, para quem sofreu um derrota por apenas 5 pontos no Sevens de São José, além de vencer o Rio Branco por boa margem na etapa seguinte, em Niterói.

O Jacareí é uma equipe com pouco tempo no cenário nacional, e vem desenvolvendo um grande trabalho nas categorias de base, como deve ser, travando grandes duelos com o São José nessa categoria e criando uma saudável rivalidade local. No entanto, a equipe faz a sua estreia nos adultos nessa edição do circuito (salvo engano, é a primeira vez que estão disputando a categoria adulto). Se essa promoção de categoria ocorreu com os jogadores formados na equipe, podemos esperar uma equipe competitiva. Por último, o Curitiba B, mais um representante da capital paranaenses, e cuja formação também desconheço. Considerando que haverá uma disputa apropriada pelos jogadores GG, entendo que não se trata de outra equipe ao estilo Butterflies, composta pelos forwards do SPAC em seu torneio, e se for assim deve trazer mais equilíbrio par aa chave.

Adulto Feminino

Grupo A:

Existe algum campeonato em que o SPAC não é favorito? Acho que não. Uma equipe que conta com cerca de metade de jogadoras da seleção e líder do circuito tem tudo para terminar em primeiro lugar. Ainda assim, completam o grupo o Desterro, que desfalcado de algumas de suas jogadoras, não foi bem na última etapa e possui apenas a metade dos pontos da cabeça de chave, ocupando a quinta colocação com 43 pontos; O São José, quinto colocado na última etapa e 4º no geral, e a USP que foi a 4ª colcoada no SPAC e oficialmente não faz parte do Circuito.

O grupo reúne o campeão, 4º e 5º colocados da última edição, então se pode esperar bons confrontos. A USP já é um time consolidado, com boas jogadoras e é um caso raro em que a equipe universitária supera os clubes mais tradicionais. As meninas da USP já enfrentaram e venceram o Desterro e o São José, nas etapas do SPAC e São José respectivamente. O Desterro venceu o São José na primeira etapa do circuito.

Grupo B:

As meninas do Niterói, lideradas por Baby Futuro, tem a companhia do Bandeirantes, equipe que segue no seu encalço na classificação geral (o Niterói supera o Band em apenas 6 pontos), além de Curitiba e Cat Girls. Niterói e Bandeirantes já se enfrentaram duas vezes no circuito 2009/2010, sempre com vitória fluminense. A primeira, por 29 a zero e São José e a segunda por um apertadíssimo 5 a zero, no SPAC. Difícil prever quem leva a primeira posição. As meninas do Curitiba fazem campanha regular, com a 6ª colocação no circuito e, mesmo com apoio local, não devem oferecer muita resistência à fluminenses e paulistas. Desconheço a composição das Cat Girls.

Junior

Estranhamente, a equipe do Pasteur que venceu a última etapa, não participa em Curitiba.

Grupo A:

O São José, atual campeão nacional no XV e líder do circuito, enfrenta SPAC, Bandeirantes e o Curitiba B. Uma característica quem vem marcando as disputas nos juniores são o equilíbrio das partidas. Apesar de estar invicto até o momento contra as equipes dos demais grupos, o São José não venceu nenhuma partida por um placar folgado, ou seja, garantia de partidas decididas no último minuto de jogo.

O mesmo se aplica às demais equipes, todas tem chances de vencer. A menor diferença registrada foi entre Curitiba e São José, de apenas 5 pontos (A equipe A venceuo São José em São José, na primeira etapa, por 12 a 0). Por se tratar da equipe B, pode ser que tenham menos poder de fogo que a equipe principal, mas com certeza não será um adversário fácil de superar.

Grupo B:

O Jacareí, cidade próxima a São José e que investe tudo na base, com ótimos resultados, quer seguir na disputa pelo título do circuito, com apenas 8 pontos de diferença em relação aos joseenses. Encabeçam a difícil chave que conta ainda com o Ilha Rugby, do litoral paulista e com o Unibrasil, equipe principal dos anfitriões, que vem fazendo grande campanha também, somente apenas 2 pontos atrás do cabeça de chave.

Nos confrontos do grupo, quem se sai melhor é o Curitiba, com vitória sobre o Ilha Rugby no Niterói Sevens e sobre o Jacareí no SPAC, enquanto que esses venceram os próximos anfitriões em São José. Mas assim como no grupo A, segue tudo em aberto. Completa o grupo, a equipe do Lobo Bravo, também do estado, e de quem não possuo informações, por isso me isento de comentar a respeito.

Sem dúvida será um grande fim de semana de muito Rugby, e à medida que nos aproximamos do fim do Circuito desse ano, ainda não podemos definir um campeão, deixando emoção de sobra para a última etapa em Florianópolis.

ALOJAMENTOS CRC Sevens

REGULAMENTO CRC SEVENS 2010

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: