Grupos e análise do Adelaide Sevens


A Série Mundial de Sevens chega na metade final, com mais 4 etapas por disputar, sendo a próxima, a etapa de Adelaide, na Austrália, entre os dias 19 a 21 de março.

Ao contrário das etapas anteriores, pode-se ter uma boa noção da posição das equipes em cada grupo, houve uma certa disparidade no nível das seleções e o momento pelo qual elas passam. Confira os grupos, a análise e dê a sua opinião.

Grupo A: Nova Zelândia, Argentina, Escócia e Tonga

No grupo A, temos a Nova Zelândia, líder da competição até o momento, agora com 84 pontos, 14 pontos de vantagem sobre Samoa, segunda colocada. Não deve ter dificuldades para vencer o grupo. A Argentina pode se apresentar como um desafio, mas não passa por bom momento e deve se garantir na segunda colocação, também sem problemas. Escócia e Tonga, nem pontuaram até o momento na série. A Escócia não conseguiu ir além da terceira colocação na fase de grupos, nas etapas da Nova Zelândia, Estados Unidos e África do Sul. Tonga só participou da etapa da Nova Zelândia e terminou na última posição do grupo.  

Grupo B: Samoa, África do Sul, França e Japão

No grupo B, novamente um duelo desigual. Temos Samoa, atual segunda colocada, como favorita. Os sulafricanos são os atuais campeões mundiais, mas não conseguiram repetir a campanha exitosa do ano passado e agora está apenas na sétima posição da classificação geral. Deve repetir a mesma segunda posição obtida nas etapas da África do Sul, Nova Zelândia e Estados Unidos. A França deve brigar com os rápidos japoneses pela terceira posição, melhor posição de ambos até agora. O Detalhe fica por conta do Japão ter superado a Argentina para garantir o posto no Sevens de Las Vegas.

Grupo C: Fiji, Quênia, País de Gales e Papua Nova Guiné

Este é o grupo que se pode considerar mais equilibrado da competição, Figurando respectivamente na 3ª, 6ª e 9ª posição no geral, Fiji, Quênia e País de Gales podem ser consideradas postulantes à primeira posição do grupo, sendo os galeses, atuais campeões mundiais, correndo por fora. A primeira posição deve realmente ser definida no jogo entre Fiji e Quênia. Papua Nova Guiné tem sua maior estrela no banco de reservas, o lendário Waisale Serevi, de Fiji, que se estivesse jogando, poderia fazer algum estrago nas adversárias, mas não é o caso, definitivamente.

Grupo D: Inglaterra, Austrália, Estados Unidos e Niue

Mais um grupo onde a batalha principal se derá entre 2 equipes. Inglaterra e Austrália fizeram campanhas semelhantes ao longo do torneio, com superioridade inglesa apenas na fase de grupos, onde sempre terminou em primeiro até o momento. Os Estados Unidos são uma equipe em crescimento, e devem dar trabalho para ambos, mas não devem surpreender como os canadenses fizeram recentemente ao derrotar a Argentina, na etapa de Wellington, Nova Zelândia. Para Niue, sobra a última posição do grupo, a mesma obtida na etapa neozelandesa, a única em que participou até agora.

Para mais informações, acesse o site oficial da competição, clicando aqui

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: